Expedição Equipe Zigurats – Peru Bolívia


A 5ª Expedição Brasil – Equipe Zigurats do Projeto Portal realizou pesquisa sobre as culturas dos países andinos durante nove dias no Peru e Bolívia, no período de 20 a 28 de setembro de 2011, com muito sucesso e atingindo seu objetivo, que foi traçar um paralelo entre essas civilizações em relação ao início da presença do homem na Terra e a interferência de outas inteligências neste processo.

O estudo sobre o legado da legendária figura andina de Viracocha e seus auxiliares revelou surpresas no que se refere a referências sobre a participação de inteligências com conhecimentos superiores ao humano nas culturas pré-incas e incas, bem como indicou a participação de mulheres com conhecimento superior nestas mesmas civilizações, mostrando inclusive a existência de matriarcados.
Além disso, os pesquisadores puderam conferir o uso de tecnologias antissísmicas nas ruínas dos  prédios de diferentes tipos de arquitetura nos sítios arqueológicos visitados, tanto nas culturas pré-incas como na dos incas, bem como formas de governo, ensino, agricultura com o cultivo e armazenamento de alimentos em terraços escalonados (se olhar pela vertical toma a forma de zigurats) nas montanhas, o que propiciava o equilíbrio do micro clima, saúde, etc. Outro fato marcante foi o mistério do transporte e o corte preciso nas enormes pedras colocadas em caminhos estreitos de montanhas altíssimas.
Embora não ocorra uma chuva tropical há cem anos em algumas regiões do Peru, ocasionando desertos em várias áreas do país e desde 1970 não caia nenhuma chuva na região metropolitana de Lima, a questão da falta da água é solucionada através do degelo das montanhas dos Andes e também por meio de poços artesianos. Atualmente, em algumas vilas na periferia da capital peruana, o abastecimento é feito por caminhões pipa. Nas comunidades pré-incas e incas como em muitos templos e edificações foram utilizados dutos de água para o abastecimento e irrigação da agricultura, que permitia também o armazenamento da água da chuva.
TIAHUANACO
A Equipe Zigurats desembarcou em Lima, seguindo imediatamente para o município de Juliaca, deslocando-se para Puno, distanciando-se 1h20min da fronteira com a Bolívia. Tiahuanaco é um complexo arquitetônico localizado no planalto central boliviano a sudeste do lago Titicaca, que faz limite com a Bolívia e o Peru, por intermédio do município boliviano Desaguadero, composto por sete ruínas: Kalasasaya, significando “lugar das pedras em pé”, Templo semisubterrâneo, Pirâmide de Akapana, Portada do Sol e Puma Punku. Conforme a lenda, tudo o que se vê ali apareceu repentinamente com as enormes pedras “levantadas misteriosamente do chão pelo ar ao som de trombetas”. Ali, furos nas pedras ampliavam a voz pela ressonância, comprovando a utilização da vibração sonora, conforme os pesquisadores da Equipe Zigurats puderam constatar.ILHAS FLUTUANTES DE UROS
Localizadas no lado Titicaca, que possui 8.560 km² com 222 km de extensão e 165 km de largura e 65 km de comprimento, alimentado pelas águas de degelo das geleiras que rodeiam o altiplano andino,  ele fica 60%  no lado peruano e 40% no boliviano. O lago deveria se chamar TITIHALA, que quer dizer puma de pedra, por possuir a forma de um puma, mas o termo foi traduzido para o castelhano como Titicaca, depósito de ”excrementos” vindos do espaço.  O lago navegável mais alto do mundo tem de 140 a 300 metros de profundidade e em suas águas profundas existem partes lisas e depressões. Explorado pelo oceanógrafo francês Jean Jacques Cousteau (11/6/1910-25/6/1997), que produziu 150 filmes e perto de 60 livros, ele descobriu rã de 1,70 metros que se atravessou nas hélices de seu barco. Cousteau vislumbrou luminosidade forte vinda da profundeza do lago, mas nunca conseguiu descobrir do que se tratava nem de onde vinha.
A população das ilhas flutuantes pertence à etnia dos collas mesclados com yamaras e quéchuas. Conforme estudiosos, têm a ver com a civilização da Lemúria, possuindo uma pele moreno-avermelhada devido à influência do elevado número de glóbulos vermelhos no sangue, que os diferencia de todas as demais raças humanas. 
O lado Titicaca é o local de nascimento dos filhos do Sol ligados ao governante inca Manco Capac. As 50 ilhas flutuantes se baseiam em uma planta chamada “totora” parecida com o junco, cuja raiz tem até três metros de comprimento dentro da água. A despedida dessas pessoas foi emocionante, com as mulheres cantando a seguinte canção: “Não me importa de onde venhas. Não me importa a raça. Não me importa a cor de tua pele. Se tu vens como amigo, amigos seremos.”
CUSCO
A lenda diz que a cidade foi fundada por Manco Capac e Mama Occlo, dois filhos do Sol vindos de Tiahuanaco, próximo ao lago Titicaca. Cusco foi o centro do império Inca, significando “umbigo do mundo”. A civilização foi dizimada com a chegada dos espanhóis, liderados por Francisco Pizarro e seus irmãos.
SACSAYHUAMÁN
Em Cusco o parque ecológico de Sacsayhuamán, que contém uma pedra de 11 ângulos com peso estimado de cerca de 200 veículos grandes, sendo que suas pedras parecem ter sido derretidas, talvez pelo uso de energia térmica. Todas as pedras estão encaixadas em perfeita simetria, semelhante a Stonehenge, na Inglaterra. Nele ocorre a Festa do Sol, celebrada todos os anos em 24 de junho. Suas pedras estão dispostas em zigue-zague, dando a impressão de um templo militar ou de realização de cerimonias oficiais. O nome significa zigue zague (SAQSAY) e cabeça (UMAN), tendo a presença da cultura PARACAS, especializada em medicina, destacando-se a trepanação de crânios utilizando placas de ouro para curar as pessoas já naquela época.
 
TEMPLO DE VIRACOCHA
Conhecido também como tempo de RAQCHI, nome dado por Viracocha aos índios incas, era todo coberto de ouro, tinha uma parte destinado às mulheres sacerdotisas  e uma perfeita sincronização da vibração sonora que dura até hoje e quando se emite um som, o mesmo se expande e vibra ao longo do estreito caminho inca que corta o templo. Destaque para a agricultura ao lado da edificação que produzia sua própria alimentação.
TEMPLO QORICANCHA
Nele estão os mundos dos vivos e dos mortos, cujo nome significa centro espiritual do mundo. O templo era todo rodeado de ouro, possuindo diferentes arquiteturas: inca, colonial e mourisca (árabe e palestina). Na época inca, no Jardim Dourado do Templo do Sul os produtos agrícolas eram colocados em vasilhas de ouro. Nele também havia o efeito da vibração sonora que somado a água que passava por três canais ressoava pelo local.
Ele possuía um grande disco solar com 3,25 metros em ouro que está desaparecido até hoje.  Os incas consideravam o ouro o metal dos deuses, porém os espanhóis atribuíam a ele somente o valor material. Além do ouro, o templo possuía a representação das estrelas e constelações em pedras preciosas e sua construção era antissísmica, aproveitada posteriormente pelos espanhóis para construir a Igreja de Santo Domingo no centro de Cusco.
TAMBOMACHAY
Construído a 3.765 metros do nível do mar, mostra um enigma: ninguém sabe de onde vem a água que nunca seca, talvez de três lagoas localizadas nas montanhas que o rodeiam ou do degelo. O acesso a água foi um dos pontos importantes na construção dos templos e prédios incas. Neste local, como em muitos outros, os mortos da elite eram mumificados e colocados em posição fetal em nichos encravados nas montanhas, juntamente com ídolos de ouro até serem enterrados.
QENQO
O nome significa labirinto no idioma quéchua, possuindo o altar dos três mundos: dos deuses (condor), dos vivos (puma) e dos mortos (serpente), semelhante à trilogia das Linhas da Vida.  No altar superior eram queimados  produtos agrícolas que faziam fumaça e que, segundo os incas, conectava com os deuses. O labirinto significa que os mortos tinham que passar pela escuridão, cumprindo-se assim o ciclo da vida. O altar que recebia a luz da Lua era decorado com lâminas de ouro e prata.
QOLLCAS
No rio Urubamba, visitamos o legado da civilização dos Qollcas para conferir a armazenagem de grãos agrícolas.
MACHU PICHU
A cidade suspensa, conforme as evidências foi abandonada por seus habitantes, talvez fugindo de algum problema climático ou dos espanhóis, sendo que se deslocaram em direção à selva amazônica. Em torno de Machu Pichu há uma série de cidadelas que também foram abandonadas de forma semelhante. A cidade contava com dois setores que a dividiam: o agrícola e o urbano, sendo que o primeiro era formado por terraços localizados no lado sul do complexo. O setor agrícola se separava do urbano por um muro, o qual terminava em uma entrada vigiada que controlava seu acesso. O Templo do Sol é uma das construções com acabamento mais fino e por sua similaridade com o templo de Qoricancha em Cusco  era dedicado ao culto da divindade máxima inca. Este templo possui três janelas que permite a passagem exata dos raios solares durante os solstícios de verão (21 de dezembro) e de inverno (21 de junho), sendo que a terceira mostra perfurações ao redor do marco, chamado de Janela das Serpentes. Também há o templo do Condor, considerado uma ave sagrada pelos incas.
VALE SAGRADO
No Vale Sagrado, os remanescentes da civilização chinchero ainda conservam a arte da tecelagem e tintura de tecidos, um sistema de trabalho transmitido pelos antepassados. Eles mostraram um sabão feito a partir da planta SAKTA, semelhante à mandioca, que após descascada em um ralador diretamente na água e posteriormente agitada com as mãos forma uma espuma, limpando rapidamente a lã suja de carneiro. Depois de lavada, fazem o fio, tingem e finalizam as peças para serem vendidas. Eles possuem 54 desenhos diferentes gravados somente na mente.
Ollantaytambo quer dizer lugar de descanso, situando-se ao note de Cusco, no outro extremo do Vale Sagrado, próximo a Machu Pichu. Era uma fortaleza com um povoado, com templos para a religião e terraços para plantar  e armazenar os grãos encarapitados nas montanhas. No topo de uma imensa montanha havia seis pedras enormes em forma piramidal contando também com um disco solar de ouro no Templo do Sol que mostrava os solstícios e um observatório astronômico.  Todo o conjunto foi construído com proteção de terremotos.
Mais uma vez o templo foi parcialmente destruído pelo homem, neste caso os colonizadores espanhóis, para permitir a utilização das pedras nas obras  da Igreja, que construiu seus prédios dessa maneira. Também edificado em uma montanha, todo o complexo  pode ser classificado em três partes: militar, religiosa e habitacional. As construções de uso militar  se encontram sobre a segunda parte a montanha, em um local estratégico que permitia uma visão total do vale. Os muros são grossos e inclinados na parte interna (tecnologia antissísmica) e o fato de estarem sobre uma rocha de mais de 200 metros de comprimento proporcionam um aspecto invencível. O santuário localiza-se na primeira elevação da montanha e possui sete habitações de pedra bem polida. No centro está o INTIHUATANA, o templo do Sol. Nele há a habitação das  mulheres sacerdotisas e seu templo da Lua.
CARAL
A cidade mais antiga da América, datada de cinco mil anos A.C. possui 66 hectares abrigando nove pirâmides em semi-círculo. Gravado em uma pedra o símbolo circular das amazonas, mostrando indícios de uma sociedade matriarcal, possuindo cinco templos cerimoniais e com o enigma de não haver um cemitério.

A cidade de Caral também foi abandonada repentinamente.
Embora muito antiga, a cidade m

ostra característica de vida urbana e também desenhos com rostos orientais. A cidade foi construída em um deserto, porém a poucos metros há um vale verdejante intitulado Vale Supe, banhado pelo rio do mesmo nome.

SANTUÁRIO PACHAMACAC
As edificações são pré-incas no deserto, feitas com tijolos na vertical tipo biblioteca, outra técnica antissísmica, contendo também canais de água abaixo da areia. Ele foi construído mil anos antes dos incas, com tecnologia adobe (tijolo feito de terra seca ao Sol). O local tinha dois caminhos que se cruzavam, um na direção Norte-Sul e outro na Leste-Oeste. Consta que Pachamacac recebeu neste local a visita de Fernando Pizarro, irmão do colonizador espanhol Francisco. Havia um templo destinado às virgens escolhidas que eram sacrificadas para agradar aos deuses, porém isso ocorreu durante a ocupação espanhola, em 1532 D.C.Neste local, entravam somente mulheres (ali se iniciou a ação da Inquisição da Igreja Católica, caçando as pessoas que detinham o conhecimento). Também aqui o complexo tinha três funções: militar, astronômico e religioso/cerimonial.Todas as culturas pré-incas eram matriarcas, sendo que os incas eram patriarcais.
CATACUMBAS
Visitamos também as catacumbas da Igreja de São Francisco, no centro de Lima que abriga 32 igrejas católicas todas elas com essa característica, porém somente a de São Francisco permite a visitação, sendo que todas as catacumbas estão conectadas entre si através de caminhos secretos. Elas foram construídas nos séculos XVI, XVII e XVIII, contendo  25 mil ossadas, sendo que a maior parte das tumbas eram coletivas. Eles utilizavam cal viva sobre os cadáveres para limpar e higienizar, evitando assim odor e epidemias. As catacumbas eram ligadas à sede do palácio de governo e de justiça e também tinham interligação entre os conventos femininos e masculinos.
Nas catacumbas também pudemos constatar a forma abobadada de construções nos subsolos, semelhante o que estamos construindo nas galerias do Projeto Portal e às casas com tetos do mesmo formato em abóboda.  Nelas existem  poços com dez metros de profundidade e cinco de diâmetro que serviam para anular as vibrações sísmicas. Nos anos 40 ocorreu o pior dos terremotos da história dos Andes e estas estruturas mão sofreram nenhum abalo, enquanto as que não tinham a mesma tecnologia foram abaixo.
Geografia
Vale ressaltar que geograficamente o Sul do Peru fica na mesma longitude do Estado da Bahia, porém com clima totalmente diferenciado. Enquanto na Bahia e no Brasil o clima é tropical, no Peru é frio devido ao oceano Pacífico, cuja corrente marinha é gelada e a temperatura de suas águas não passa de 19º no inverno.
Além da expedição ao Peru e Bolívia, a Expedição Brasil – Equipe Zigurats esteve em 2010 na França (outubro) e no México (janeiro) e em 2004 e 2005 na região Amazônica

Originally posted 2011-11-24 02:48:52. Republished by Blog Post Promoter